"Meu Pai" (The Father - 2020)

The Father (Meu Pai) - 2020

Este filme é nada mais do que fabuloso. A cinematografia é perfeita, a trilha sonora fenomenal combina com a sutileza e a inteligência na direção fantástica. Os atores são nota 10, Anthony Hopkins e Olivia Colman brilham, em uma aula de interpretação. Como perdi meu pai por Alzheimer, este filme gerou um conflito emocional dentro de mim, por um lado, as lágrimas escorreram do meu rosto e por outro, a cada cena ficava mais maravilhado com a inteligência no uso desta linguagem chamada cinema. Foi um êxtase dolorido! Achei o final profundo porque por um breve minuto Anthony Hopkins voltou a ser uma criança chorando pela mãe, só para logo, confuso, ainda com lágrimas escorrendo pela face dizer algo como: "Estou perdendo as folhas! Estou ficando só o tronco e os galhos... ainda bem que ainda tenho meu relógio que me acompanhar marcando o tempo nesta jornada..." Foi ótimo ver Olivia Colman afastando-se da imagem criada no filme, onde aparece como "a rainha louca" e "Anthony Hopkins" afastando-se do seu personagem como o assassino serial do filme SILÊNCIO DOS INOCENTES.
De volta ao filme, MEU PAI é um drama de 2020, co-escrito e dirigido por Florian Zeller, em sua estreia na direção, baseado em sua peça de 2012, LE PÈRE (O Pai). Nesta co-produção franco-britânica, no filme além Anthony Hopkins, Olivia Colman, atuam Mark Gatiss, Imogen Poots, Rufus Sewell e Olivia Williams, e segue um homem idoso portador de Alzheimer que precisa lidar com sua perda de memória progressiva.
O filme, MEU PAI, teve sua estreia mundial no Festival de Cinema de Sundance em 27 DE JANEIRO DE 2020 e será lançado no Reino Unido em 11 DE JUNHO DE 2021 pela Lionsgate. O filme foi aclamado pela crítica, que elogiou as atuações de Hopkins e Colman, bem como os valores de produção e seu retrato da demência. No 93º Oscar, Hopkins ganhou o de Melhor Ator e Zeller e Hampton ganharam o de Melhor Roteiro Adaptado; o filme recebeu seis indicações no total, incluindo Melhor Filme e Melhor Atriz Coadjuvante (Colman). No 78º Golden Globe Awards, o filme recebeu quatro indicações, incluindo Melhor Filme/Drama, e recebeu seis indicações no 74º British Academy Film Awards, ganhando Melhor Ator (Hopkins) e Melhor Roteiro Adaptado. Além disso, Hopkins e Colman foram indicados para Melhor Ator e Melhor Atriz Coadjuvante, respectivamente, no 27º Screen Actors Guild Awards.
Florian Zeller (francês, nascido em 28 DE JUNHO DE 1979) é um romancista, dramaturgo, diretor de teatro, roteirista e diretor de cinema francês. Ele ganhou o prestigioso Prix Interallié por seu romance de 2004, THE FASCINATION OF EVIL (O fascínio do Mal) e vários prêmios por suas peças. Ele é, de acordo com o The Guardian, "o dramaturgo mais emocionante de nosso tempo". Ele escreveu e dirigiu este seu primeiro filme, THE FATHER, baseado em sua peça homônima. (Antônio Celso Barieri, de Londres-UK)

RECORDO, DEMETRIO BARBIERI

Meu pai, Demetrio Barbieri foi um homem bonitão e vaidoso. Ele era loiro e tinha os olhos azuis. Por muitos anos ele usou, terno e gravata e andava sempre elegante. Ele tinha duas aposentarias, ele aposentou-se como assessor da diretoria da antiga Estrada de Ferro Sorocabana e também aposentou-se como Diretor de uma escola Estadual de SP que ficava não muito longe da Praça Princesa Isabel. Quer dizer, sua aposentadoria era muito boa mas, meu pai tinha duas fraquezas: mulheres e sexo.
Acho que ele nunca conheceu realmente o amor. Estou certo que, na verdade, ele confundia "amor" com "prazer". Portanto, nem preciso dizer que minha mãe pastou nas mãos dele, à ponto de, em segredo, acabar se entregando à bebida.
Nossa família cresceu, sem amor e desestruturada e, eu e meus irmãos, nunca conseguimos nos sintonizar. Eu sempre caminhei meus próprios caminhos, sabendo de antemão que nunca, numa emergência, poderia contar com a ajuda deles.
Meu pai, não tinha sensibilidade alguma e muitas vezes, na frente dos meus outros irmãos, deixou claro que gostava mais de mim porque, segundo ele, "gosto do Celso porque ele massageia meu ego!". Eu acho este jeito de gostar um jeito egoísta e interesseiro e, apesar de minha infância e adolescência ter sido muito ruim pois meu pai era um bully que resolvia tudo na cinta, com minha candidatura para Deputado Estadual pelo PCB e mais tarde minha ida para a Europa, passando a residir em Londres e em 2015, lançando o meu livro O LIVRO NEGRO DO ROCK, meu pai foi ficando mais fácil. Nem por isto, eu deixei de ter dores de cabeça com ele. Geralmente quando ele aprontava, algum dos meus irmãos ligava para Londres e, eu é que tinha que ir para SP consertar as coisas.
Numa das nossas idas para SP, visitei o velho que agora vivia sozinho numa quitinete. Quando fui visita-lo ele tinha uma televisão de tela plana. Duas semanas depois quando visitei-o novamente, a televisão tinha sumido. Segundo ele um "amigo" que ele não lembrava o nome levou a TV para consertar e desapareceu. Ele reclamou da sua aposentadoria, dizendo que não estava recebendo mais nada e que a culpa era do Temer que estava roubando o seu dinheiro do banco. Ele almoçava num bar da esquina onde os donos anotavam num caderno e ele pagava todo mês. Era um bar caído onde o dono não parecia muito confiável. Meu pai nem sabia me dizer quanto pagava por mês.
Fui conversar com irmão Jorge e disse-lhe que como não conhecia nada sobre este lado da lei e como o velho estava se aproximando dos 90 anos, acreditava que ele estava sofrendo de Alzheimer. Convidei meu irmão para ir no Forum e perguntar o que poderíamos fazer. Ele disse insistiu que seu Demetrio estava ótimo e que, porque ele era um mulherengo e porque meu irmão tinha filhas, na casa dele ninguém na sua família queria ele lá.
Então, levei o velho para fazer uma bateria de exames, incluído psicólogo, neurologista e até uma tomografia do cérebro. O resultado foi óbvio e evidente, o cérebro dele não só tinha encolhido com esta calcificando em certos lugares. Levei todos os exames num médico que examinou e forneceu um documento dizendo que meu pai não tinha mais condição de administrar a sua própria vida. Fui na delegacia do idoso mas, fiquei muito decepcionado porque o delegado disse que só fariam um intervenção se algo de mau lhe acontecesse. E que, se ele se perdesse ou fosse espancado todos nós os filhos incluindo a sua esposa que não morava mais com ele, seriam responsabilizados.
Tirei 5 cópias de todos os documentos com firma reconhecida em cartório e deixei com a sua esposa chamada Maria. Expliquei para ela que o negócio era sério e que ela tinha agora uma forma de ir ao banco e tirar a autoridade dele. Bom, lá no banco ela descobriu que ele tinha feito dois financiamentos de 25 mil reais para ser debitado mensalmente do seu salário. Era por isto que ele não recebia quase nada. Maria então levou o seu Demetrio para morar na casa dela. (Aliás tanto a quitinete onde ele vivia, assim como o apartamento dela tinham sido comprados com dinheiro dele).
Por minha insistência, na sua carteira ele era obrigado carregar um cartão contendo seu nome, endereço e telefone de contato.
Um dia, seu Demetrio conseguiu fugir de casa. Ninguém conseguia encontra-lo até que ao anoitecer, o telefone tocou e um homem não identificado, falou: "Demos um cacete no Demetrio e desovamos ele próximo à estação rodoviária, venham busca-lo." Ele apanhou porque não conseguia lembrar a senha do seu cartão de crédito. Na rodoviária, Maria descobriu que ele tinha sido encontrado pela polícia e levado para o hospital.
Depois deste incidente Maria e Jorge meu irmão intransigente tomaram uma atitude decente (certamente por medo das consequências) e internaram seu Demetrio numa casa de repouso.
Bom, nas duas últimas vezes que visitamos SP, fomos visita-lo. Na última vez ele estava praticamente irreconhecível, usando camiseta e moletão, chinelão e sem a sua imponente barba e com os cabelos brancos algodão (ele sempre tingia os cabelos e a barba). Fisicamente e mentalmente, ele não era mais o seu Demétrio. Ele nem sabia quem ele era. Ele não me reconheceu e duvidou que eu era seu filho. Quando tiramos uma foto juntos, mostrei a foto para ele e ele insistiu que eu era na verdade ele. Fiquei sabendo que não colocavam mais espelhos do seu quarto porque ele quebrava todos, pois não reconhecia a pessoa que via ali refletida.
Com o agravamento do Alzheimer, seu organismo foi perdendo função e ele acabou passando meses, de olhos fechados, deitado na cama. Maria disse que numa de suas visitas, sentada ao lado da cama, viu lágrimas escorrendo nos cantos dos seus olhos...
Ele faleceu em FEVEREIRO DE 2021.
Alzheimer é uma doença terrível que não só tortura o paciente como também aqueles familiares mais próximos e preocupados.
Eu sonhava com o dia que meu pai se desculpasse pelas coisas que fez! Com Alzheimer, a primeira coisa que aconteceu foi ele criar uma memória santa seletiva, como se ele tivesse sido o melhor pai e marido do planeta. Bom, tudo acabou, já está na hora de eu viver o agora!!! (Antônio Celso Barieri, de Londres-UK)

trio

No Brasil, a pelicúla está em cartaz com o nome de 'MEU PAI'

Articles View Hits
9502856

We have 1837 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro